fbpx

Domínio próprio na Internet, vale a pena?

Quem quiser marcar o seu espaço na internet precisa saber da sua evolução.

A Internet evoluiu de 1 para mais de 1,6 bilhões de Sites

A Internet, a rede mundial de computadores, só existe e posso afirmar com propriedade, devido aos seus criadores e ao conteúdo dos websites – que são as páginas publicadas em algum domínio que disponibilizam informações das mais variadas áreas do conhecimento e assuntos nonsense.

Inicialmente as redes tiveram propósitos bem diferentes para a humanidade, nas universidades (professores, pesquisadores), nos órgãos governamentais (militares), nas empresas (tecnologia e ciência) e para as pessoas (estudantes).

Porém com sua abertura comercial em 1993 as empresas detentoras de suas respectivas marcas começaram a investir na ideia de divulgar informações de seus produtos em algum “lugar” na internet, pois muita gente estavam utilizando-a.

Redes Sociais

As redes sociais, utilizando a Internet, agruparam as pessoas pelo mundo todo em torno de uma comunidade aberta apenas ao público participante, vejam os casos:

Twitter, Facebook, Youtube, Instagram, Linkedin, etc. Hoje existem os usuários que estão na Internet e em algum momento “dentro” de alguma rede social.

Quem lembra do saudoso Orkut?

A Internet evoluiu de 1 para mais de 1,6 bilhões de Sites

A Internet evoluiu muito desde o lançamento do primeiro site (info.cern.ch) pelo inventor da “World Wide Web”, Tim Berners-Lee, físico Britânico em 6 de agosto de 1991 enquanto estava no CERN, na Suíça. 

E quanto ela evoluiu? Vamos aos números, segundo o site de estatísticas da internet – internetlivestats.com:

Numeros de sites na internet

Os dados divulgados no site referem-se ao período de 2000 a 2018. Para fins de análise comparativa utilizarei o três últimos que constam no gráfico

AnositesCrescimento em % com relação ao ano anterior
20181.630.322.579-8%
20171.766.926.40869%
20161.045.534.80821% (2015,863.105.652

Nota-se uma queda no número de websites em 2018. Qual seria o motivo disto? Teriam, as redes sociais, levado os criadores de páginas para “dentro” de seus domínios, ofuscando um pouco o crescimento de websites das marcas e chegando até a causar uma certa desorganização e falta de qualidade em fan pages?

As redes sociais tem em comum o seu próprio endereço (URL) e dentro do tema proposto o que nos interessa neste momento é o quão valioso pode ser o endereço de uma marca, vale relembrar que o domínio “pizza.com” em 2008 foi vendida por 1,65 milhões de euros (R$ 10,9 milhões em 22/02/2021).

Uma curiosidade a parte, em 2020 segundo a Forbes, entre as cinco marcas mais valiosas do mundo, todas de Tecnologia, a quinta posição é ocupada pelo Facebook avaliada em US$ 70,3 bilhões.

Porto Seguro

Se a sua marca ficar em um subdomínio de domínio do fornecedor, quem vai aparecer mais vezes é ele. Quer dizer que o domínio de graça é dependente. Caso você conheça alguém que tenha um assim, verifique que existem mensagem de publicidade convidando os visitantes para criação de páginas, ou seja, utiliza a sua marca para reforçar a dele. Dois casos conhecidos:

Exemplo A: https://seunegocio.abcsite.com/

Exemplo B: https://suamarca.abcnode.com/

O exemplo a seguir é a fan page. Este formato muda um pouco a estrutura, só que o resultado continua sendo de dependência do domínio principal:

Exemplo fanpage A: https://www.fanpage.com/sitedemarcaA (de TV, de Rádio)

Exemplo fanpage B: https://www.fanpage.com/sitedemarcaB (de Notícias/Jornais)

Qual o problema nisto tudo? Nenhum. Desde que o negócio não se importe em depender e ficar “abaixo” do outro domínio. O que não ocorre quando se é proprietário do domínio. 

Fazendo uma analogia, imagine um local seguro para se morar (casa, sítio, chácara) onde você vai viver com a sua família, um local onde as suas economias diárias pudessem ficar e serem guardadas todo dia? Podemos chamar de casa, ou lar? Quanto ela vale? Os recursos financeiros que tem se esforçado para mantê-lo aconchegante e agradável aos seus visitantes em momento de entretenimento.

Assim é considerado o domínio próprio na Internet, como se fosse a sua casa, onde ficará guardado todo o seu conteúdo (sua marca) e se as pessoas que quiserem te encontrar saberão onde e em quais canais de contato poderão buscar. 

Por tanto além de ter um domínio próprio e ao escolher uma boa empresa desenvolvedora de sites e hospedagem deve-se levar em consideração os tópicos descritos acima além de saber que sua marca está sendo valorizada e ganhando autoridade no mercado de forma independentemente.

“Site com domínio próprio: a sua marca no porto seguro.”

Edvaldo Oliveira

Tecnólogo em ADS formado pela Universidade Paranaense – Unipar, Especialista em Metodologia do Ensino na Educação Superior e em Sistemas Web, representante da Trinix Internet para o Paraná. Contatos:

Edvaldo - Diditec